Workshop Storytelling – 5 de Junho

Header STORYTELLING_2018

Quando apresentamos novos produtos ou ideias de negócios e usamos as técnicas do Storytelling, tornamos a mensagem mais acessível, com maior probabilidade de envolver a nossa audiência e de ser apoiado por ela. Uma boa história provoca mudanças químicas importantes no nosso cérebro. A amígdala liberta dopamina, o neurotransmissor nos dá a sensação de prazer e permite que a informação seja processada e memorizada. Segundo o historiador e filósofo Yuval Harari, é a nossa capacidade de imaginar histórias e de acreditar nelas, que nos permite comunicar a uma escala global. No mundo dos negócios, a nossa habilidade de contar histórias permite que muitas ideias de negócio fiquem, durante muito tempo, na mente das pessoas. As histórias contadas por Alexandre o Grande, Steve Jobs ou Elon Musk originaram produtos e conceitos que ainda hoje têm um papel importante nas nossas vidas.

Como foram criadas estas histórias? Porque as pessoas deveriam importar-se com o projeto ou produto que está ser apresentado? Como melhora as suas vidas ou muda o mundo?

Os grandes contadores de histórias focam na sua audiência. Fazem o trabalho de casa: sabem com quem vão falar, e prestam atenção à forma como a audiência reage; quer seja através do que diz, do que a faz rir e da sua linguagem corporal.

Todos nós contamos histórias: sobre o nosso dia, o que fizemos, o que vimos, o que sentimos. Esta é uma capacidade que todas as pessoas têm e que pode ser desenvolvida de forma a ter maior impacto.

As histórias não só dão significado às nossas vidas como humanizam os nossos negócios. Estruturar as nossas histórias e aprender a contá-las melhor,  ajuda-nos a apresentar qualquer informação – ideias de negócio, produtos, serviços – de forma, familiar, eficiente, autêntica e com resultados surpreendentes.

Durante o workshop de Storytelling, os participantes terão a oportunidade de experimentar com e de inspirar o grupo através da criação e partilha das suas próprias histórias. Entenderão melhor como estruturar uma boa história, que tom de voz utilizar nos momentos certos, como usar a linguagem corporal e o silêncio para envolver e surpreender a sua audiência.

FORMADOR

Virgílio Varela

DATA/HORÁRIO

5 de Junho 2018 – 9h00 – 13h00, 14h00 – 18h00

LOCAL

Casa do Ribeirinho, Matosinhos

Programa e inscrições em www.apgei.pt

Workshop CriativaMente – 15 de Maio

headerCriativaMente

A criatividade é considerada motor da inovação e factor decisivo no desenvolvimento de competências pessoais, profissionais, sociais e empresariais. Frequentemente, as habilidades do pensamento criativo são esquecidas na resolução dos problemas mais convencionais, devido ao excesso de confiança no pensamento racional e analítico. Desta forma, muitos colaboradores perdem o hábito de pensar diferente e divergentemente. Instala-se uma certa insegurança relacionada com as próprias capacidades criativas de cada um.

No intuito de encaminhar um melhor entendimento da criatividade e do pensamento criativo em ambiente empresarial, e incentivar a sua aplicação no dia-a-dia do trabalho, nesta ação-formação serão introduzidos e experimentados em pequenos exercícios, 6 habilidades do pensamento criativo. Associado a cada habilidade serão exploradas técnicas que fomentam um pensamento fluído, flexível e original. Os conceitos introduzidos no início do workshop englobam o Pensamento Divergente/Convergente, o Pensamento Lateral e a Criatividade Sistémica.

FORMADORA

Katja Tschimmel

DATA e HORÁRIO: 15 Maio 2018 • 09h00 – 13h00 | 14h00 – 18h00

DESTINATÁRIOS

O Workshop CriativaMente destina-se a Quadros Técnicos e Superiores de todas as áreas empresariais, que pretendam diferenciar-se através de um mindset potenciador à inovação: diretores de departamentos de inovação, gestores de projeto, marketeers, engenheiros, técnicos de Recursos Humanos, etc.

Programa detalhado e inscrições

http://www.apgei.pt/

 

Workshop SLOW DESIGN THINKING – 19 + 20 Março 2018

Header_Slow Design Thinking

Enquadramento

Na última década o termo Design Thinking (DT), ganhou popularidade nas organizações, transformando-se numa referência para a consciencialização de que muitos profissionais podem beneficiar com a forma de pensar e trabalhar dos designers. O Design Thinking é hoje um dos principais tópicos na Gestão, na Inovação, na Engenharia e na Educação. A forma como o designer percepciona e interpreta objetos e situações, criando novas abordagens e soluções, abre novos caminhos para a inovação empresarial. Por esta razão, a metodologia do Design Thinking está a ser adotada por grandes empresas como mais uma ferramenta para o executivo. Através de um processo de Slow Design Thinking, os participantes desta formação vão aprender diferentes técnicas para desenvolver, numa dinâmica slow, soluções inovadoras para um produto ou serviço da Biblioteca Almeida Garrett. Usamos o termo Slow para expressar que neste workshop o processo do Design Thinking será conduzido de forma que os participantes tenham suficiente tempo para explorar, experimentar e reflectir as técnicas usadas.

Objetivos

– Sensibilizar para a importância do Design Thinking nas empresas.
– Familiarização com os conceitos de Design Thinking e Service Design Thinking.
– Melhor compreensão das etapas de um processo criativo sistematizado.
– Praticar o processo de criação coletiva na área da Inovação de Serviços.
– Experimentar algumas técnicas do Design Thinking.
– Aumentar a motivação para a produção de novidade em geral.

Mais informações sobre o program e as inscrições em www.apgei.pt

 

WORSHOP CREATIVE CONFIDENCE (3ª ED.) – 10 DE ABRIL 2018

 

headerCC

ENQUADRAMENTO

A cultura organizacional é um fator central para o sucesso ou fracasso da promoção da inovação e da criatividade nas empresas. As pessoas são o motor de mudança das organizações. Um ambiente aberto e estimulante na empresa, e pessoas confiantes nas suas capacidades criativas, são condição fundamental para processos criativos fluídos e processos de inovação contínuos.

O conceito da “Confiança Criativa” centra-se na convicção que todas as pessoas tem o potencial e a capacidade de provocar mudanças no mundo em que vivemos. O nosso cérebro foi desenhado para resolver problemas, é algo que nos é natural. Todos temos a capacidade de pensar criativamente, mas alguns desenvolveram mais as suas aptidões criativas do que outros, devido aos seus contextos educacionais e profissionais.

Frequentemente, as habilidades criativas são esquecidas na resolução dos problemas mais convencionais, devido ao excesso de confiança no pensamento racional e analítico. Desta forma, muitos colaboradores perdem o hábito de pensar diferente e divergentemente. Instala-se uma certa insegurança relacionada com as próprias capacidades criativas de cada um. Mas segundo David Kelly (fundador da IDEO), é a fé na nossa própria capacidade criativa que é o coração de toda a inovação. Colaboradores mais confiantes e capazes criativamente criam ambientes positivos e melhores resultados para os seus locais de trabalho. É com base nesta confiança criativa dos colaboradores que as empresas desenvolvem o hábito da inovação contínua e da adaptação rápida às mudanças.

PROGRAMA

O que é a Criatividade? O que é a Confiança Criativa?

Mitos sobre a criatividade, exemplos inspiradores, jogos para a confiança criativa.

Aplicação de duas técnicas de pensamento criativo: “Brainwriting” e “Insight Clustering”.

A importância do erro.

O medo de errar (Freeze, Fight ou Flight), o poder da vulnerabilidade no processo criativo.

O jogo como ferramenta de conexão.

Aplicação de uma técnica de pensamento criativo: “Relações Forçadas”.

Comunicação carismática.

Aplicação das técnicas de pensamento criativo “Storytelling” e “Storyboarding”.

O meu EuGénio criativo. 

Aplicação da técnica de pensamento criativo “Mapa Mental”.

Plano de ação: a criatividade aplicada no universo pessoal e profissional.

FORMADORES

Katja Tschimmel e Virgílio Varela

DESTINATÁRIOS

Quadros Superiores de todas as áreas de conhecimento, que pretendam diferenciar-se através de um mindset potenciador à inovação: diretores de departamentos de inovação, gestores de projeto, marketeers, engenheiros, etc.

METODOLOGIA

Nas atividades desta formação utilizar-se-á uma metodologia pedagógica participativa, “learning by doing”, para facilitar a aquisição do conhecimento e a geração de novas ideias em grupo. Os exercícios práticos e as técnicas aplicadas provêm das áreas metodológicas da Criatividade, do Creative Problem Solving, dos Princípios do Jogo, do Teatro de Improvisação, do Dragon Dreaming e do Design Thinking.

Através de um olhar apreciativo e uma postura positiva, pretende-se tornar visível, que a criatividade já existe em cada um, aumentando desta maneira a zona de conforto e a confiança criativa de todos os participantes.

DATA E HORÁRIO

10 de Abril de 2018  •  09h00 – 13h00 | 14h00 – 18h00

Inscrições on-line em www.apgei.pt ou através do e-mail info@apgei.pt

 

Workshop DESIGN DRIVEN INNOVATION (3ª Edição ) | Porto, 21 de Fevereiro

DDi_headerENQUADRAMENTO

O Design tem sido desde sempre o motor para a inovação e é considerado cada vez mais um elemento estratégico das empresas. Estudos do Boston Consulting Goup (2006) evidenciaram que empresas inovadoras, com capacidade de innovation-to-cash, consideram o design como um dos principais instrumentos para alcançar a inovação. Nos últimos 10 anos, métodos como Design Thinking, Service Design, Visual Thinking ou Cross Industry Innovation ganharam popularidade nas organizações, transformando-se numa referência para a consciencialização de que o sistema de conhecimentos e competências do design se torna útil nas atividades organizacionais de forma abrangente.

Neste workshop serão introduzidos conceitos e diferentes abordagens do Design-Driven Innovation. Os participantes terão a oportunidade de experimentar alguns dos métodos associados em exercícios práticos. Pretende-se mostrar como os gestores podem beneficiar com a forma de pensar e trabalhar dos designers.

 DATA E HORÁRIO

21 de Fevereiro de 2018  •  09h00 – 13h00 | 14h00 – 18h00

Mais informações e Inscrições em www.apgei.pt 

 

Parcerias Felizes

Shake your tea and your mind with our MINDSHAKE TEA! Uma cooperação feliz da Chá Camélia com a Mindshake.

Mais informações sobre as PARCERIAS FELIZES e o nosso chá: https://chacamelia.com/parcerias-felizes/

#chacamelia #mindshake #parceriasfelizes #mindshaketea #criatividade #creativity

MINDSHAKE nas Jornadas Técnicas da Cerâmica 2017 – 29 e 30 de novembro 2017

Nesta edição das Jornadas, pretende-se trazer a debate temáticas determinantes para o futuro do Setor Cerâmico, tais como o impacto dos consumos energéticos, o desenvolvimento sustentável, os desafios da Inovação e da Internacionalização, o avanço tecnológico ao nível dos novos materiais e processos, bem como e o posicionamento do País e da Europa nos fatores determinantes para a competitividade do Setor.

Com um painel de especialistas convidados, disponíveis para partilhar o seu conhecimento, entende-se ser um momento distinto para a partilha de conhecimento, discussão de ideias e procura de soluções que conduzam ao crescimento sustentado do setor.

No dia 29 o evento contará com 4 painéis onde serão discutidas temáticas controversas e atuais para o Setor. Os quatro painéis, Energia, Ambiente, Inovação e Internacionalização, contarão com diferentes pontos de vista, nomeadamente políticos, públicos e de empresas e serão conduzidos por moderadores que trarão à discussão a multiplicidade de opiniões.

 

A Mindshake vai estar respresentada no dia 29:

Captura de ecrã 2017-11-14, às 17.18.19

 

 

 

 

No dia 30 serão apresentados os avanços tecnológicos do setor, contando com a presença de Universidades, entidades do SCTN, Empresas e Especialistas do Setor.

Mais informação:
http://jornadas2017.ctcv.pt/index.html

CONTACTOS:

CTCV Centro Tecnológico da  Cerâmica e do  Vidro

Rua Coronel Veiga Simão 3025-307 COIMBRA
T. 239 499 200

Sílvia Ferraz
jornadas2017@ctcv.pt

 

Workshop STORYTELLING: A importância de uma boa história na apresentação de projetos

Na já longa parceria com a APGEI, a Mindshake desenhou uma nova ação-formação para as empresas, facilitada pela designer e storyteller Mariana Mattos.

ENQUADRAMENTO
O termo Storytelling tem ganho relevância no panorama empresarial. Trata-se de uma poderosa ferramenta na transmissão e assimilação de mensagens, inclusivamente na gestão e administração de organizações. Como? Organizando factos reais, numa narrativa estruturada, trabalhando os elementos e as mensagens que compõem a história.

O principal segredo do Storytelling está em atribuir significados emocionais a elementos técnicos, num determinado contexto. Este contexto emocional ajuda a trabalhar a curiosidade e as expectativas, aumentando o envolvimento da audiência. A promoção da humanização nas organizações, ativando o sentimento de pertença e empatia, fará com que a mensagem seja lembrada, quase instantaneamente pelo público-alvo.

OBJETIVOS
– Sensibilizar para a importância da narrativa na apresentação de projetos;
– Assimilar os fundamentos do Storytelling;
– Conhecer os elementos de uma “história bem contada” (estrutura, ritmo, personagens, …);
– Experimentar na prática alguns dos métodos introduzidos;
– Praticar o processo de criação coletiva;
– Integrar a estrutura narrativa numa apresentação/pitch.

PROGRAMA
Introdução teórica aos conceitos deStorytelling:
 – Estrutura da narrativa: princípio, meio e fim.
– Identificação das personagens: protagonista, antagonista, parceiro mentor, …
– Identificação dos fatores de interesse e ritmo na narrativa.

  1. Método ‘3, 1 (…)’:
    – Exercício prático em grupo para identificar a “moral da história”.
    – Problema – solução – público alvo.
    – Exercício prático em grupo para estruturar a “moral da história”.
  1. Descobrir “a sua história”:
    – Exercício prático em grupo para escrever “a sua história”.
    – Identificar as personagens, o contexto e a ação.
  1. Da história ao pitch:
    – Exercício individual para adaptar a história do grupo a um pitch de 2 minutos.
    – Partilha dos pitches no grupo e receção de feedback.
    – Apresentação individual dos pitches.
DATA E HORÁRIO
28 Novembro 2017  •  09h00 - 13h00

INSCRIÇÕES
Associados 240 Euros
Não Associados 340 Euros
Inscrições on-line em www.apgei.pt ou através do e-mail info@apgei.pt

 

 

MAIS INFORMAÇÕES
APGEI
Rua de Salazares, 842 • 4149-002 Porto
Tel. +351 225 322 068
info@apgei.pt • www.apgei.pt

article – A Future Scenario for a Methodological Approach applied to PhD Design Research. Development of an Analytical Canvas

 link to the original article © 2017 The Author(s).

Published online: 06 Sep 2017

Within the fruitful discussion about what design research should mean and achieve and the implication for doctoral education, this paper aims to explore the topic regarding the boundaries between project design research and academic design research. There is also a strong movement within the academic milieu in the realm of design, namely within international conferences and research meetings, to discuss methodologies and processes as a paramount contribution to defining scientific research in design. PhD design research in Portuguese universities started slowly in the late 1990s, but is increasingly establishing itself as a worthy degree. This text focuses on an original study depicting the state of the art of the methodological approaches applied in doctoral design research in Portugal. It proposes a Design Research Classification Model and a Design Research Canvas that can be applied to other systematic reviews of design research as a means of synthesising the past to outline the future. It is also a major objective of this work to contribute to a clarification of a methodological framework, which relates practice-based research to academic research.

article – Why a Logbook? A backpack journey as a metaphor for product design education

Design For Next Education

Why a Logbook? A backpack journey as a metaphor for product design education

 link to the original article © 2017 The Author(s).
Published online: 06 Sep 2017

Recent literature suggests that the development of cognitive skills should constitute explicit learning objectives in design education. The work describes an educational intervention designed with the intention of promoting the creative and critical thinking performance of a group of Portuguese design students. To this end, creativity and critical thinking tests, pre and post intervention, were applied to the experimental group and to a control group. The intervention was based on two fundamental theoretical assumptions: (1) students’ thinking skills can be promoted by the introduction of Design Thinking as a learning content, and (2) this work should be complemented by the promotion of students’ metacognitive reflection. Comparing the learning process, by analogy, with a backpack journey, a Logbook concept as an educational tool to potentially promote students’ self-reflection was developed. Compared with the control group, results indicate a positive evolution of creative thinking skills in the experimental group.