WORSHOP Creative Confidence

image001

ENQUADRAMENTO

A cultura organizacional é um fator central para o sucesso ou fracasso da promoção da inovação e da criatividade nas empresas. As pessoas são o motor de mudança das organizações. Um ambiente aberto e estimulante na empresa, e pessoas confiantes nas suas capacidades criativas, são condição fundamental para processos criativos fluídos e processos de inovação contínuos.

O conceito da “Confiança Criativa” centra-se na convicção que todas as pessoas tem o potencial e a capacidade de provocar mudanças no mundo em que vivemos. O nosso cérebro foi desenhado para resolver problemas, é algo que nos é natural. Todos temos a capacidade de pensar criativamente, mas alguns desenvolveram mais as suas aptidões criativas do que outros, devido aos seus contextos educacionais e profissionais.

Frequentemente, as habilidades criativas são esquecidas na resolução dos problemas mais convencionais, devido ao excesso de confiança no pensamento racional e analítico. Desta forma, muitos colaboradores perdem o hábito de pensar diferente e divergentemente. Instala-se uma certa insegurança relacionada com as próprias capacidades criativas de cada um. Mas segundo David Kelly (fundador da IDEO), é a fé na nossa própria capacidade criativa que é o coração de toda a inovação. Colaboradores mais confiantes e capazes criativamente criam ambientes positivos e melhores resultados para os seus locais de trabalho. É com base nesta confiança criativa dos colaboradores que as empresas desenvolvem o hábito da inovação contínua e da adaptação rápida às mudanças.

 

OBJETIVOS

– Reconhecer a importância da criatividade na vida profissional;

– Conhecer melhor o seu potencial criativo;

– Aumentar a autoconfiança no potencial criativo inato;

– Ganhar coragem de experimentar coisas novas e de ‘brincar’ com ideias;

– Perder o medo de errar em processos de inovação;

– Ficar motivado para trabalhar mais em equipa;

– Utilizar a escuta e o feedback para ativar a inteligência coletiva do grupo;

– Compreender como problemas e desafios são oportunidades para a inovação;

– Desenhar um plano de ação de criatividade a curto/médio prazo;

– Aprender a olhar para as atividades da empresa de forma diferente e inovadora.

 

PROGRAMA

O que é a Criatividade? O que é a Confiança Criativa?

Mitos sobre a criatividade, exemplos inspiradores, jogos para a confiança criativa.

Aplicação de duas técnicas de pensamento criativo: “Brainwriting” e “Insight Clustering”.

 A importância do erro.

O medo de errar (Freeze, Fight ou Flight), o poder da vulnerabilidade no processo criativo.

O jogo como ferramenta de conexão.

Aplicação de uma técnica de pensamento criativo: “Relações Forçadas”. 

Comunicação carismática.

Aplicação das técnicas de pensamento criativo “Storytelling” e “Storyboarding”.

O meu EuGénio criativo.  

Aplicação da técnica de pensamento criativo “Mapa Mental”.

Plano de ação: a criatividade aplicada no universo pessoal e profissional.

 

DATA E HORÁRIO

6 Novembro 2018 • 09h00 – 13h00 | 14h00 – 18h00

Mais info e inscrições em www.apgei.pt ou através do e-mail [email protected]

Hands-on Thinking for Teams

Hands_ON_Thinking_header

Hands-on Thinking for Teams

Data: 3 de Outubro 2018, 9h00 – 18h00

Lugar: Hotel Porto Palácio

Concepção metodológica e Facilitação do Processo

Katja Tschimmel

Enquadramento

Em processos de inovação, a produção e partilha de ideias e de novo conhecimento é central. No desenvolvimento das boas ideias em equipa, é importante tornar conceitos abstratos em algo tangível. Com o workshop “Hands-on Thinking for Teams” pretende-se demonstrar a importância do pensamento “com as mãos” em ambiente empresarial e incentivar a sua aplicação no dia a dia. A criação de algo material em 3 dimensões é um apoio fundamental no desenvolvimento de ideias e conhecimento, e da sua partilha com pares. Neste workshop serão introduzidos e experimentados 2 métodos cuja utilidade é internacionalmente reconhecida: Manual Thinking® e Lego® Serious Play®.

Objetivos

  • Compreender as vantagens do Pensamento Manual e da Prototipagem 3D;
  • Conhecer e experimentar dois métodos do Hands-on Thinking;
  • Praticar o processo de criação em equipa;
  • Instalar atitudes que favoreçam um mindset criativo no trabalho;
  • Idear com as mãos.

Mais informações e inscrição em apgei.pt

Biblioshaking | Jogo para Biblioterapia nas Organizações

Biblioterapia é um método facilitador do desenvolvimento pessoal e da resolução de problemas através dos livros. Desta forma, o leitor ou um conjunto de leitores no seio de uma empresa, podem aplicar os ensinamentos dos livros na sua própria vida ou na vida de uma instituição.

Para uma primeira aproximação das empresas ao método da Biblioterapia, a biblioterapeuta Sandra Barão Nobre e a fundadora da Mindshake, Katja Tschimmel, desenvolveram um jogo específico, o BiblioshakingEm Abril 2018, o jogo de cartas foi testado com muito sucesso com um grupo de colaboradores da empresa dstgroup.

Enviamos o Case Study completo para quem tiver interesse.  [email protected] – Assunto: Biblioshaking Case Study

Biblioshaking_cartas

Design for Marketing Innovation – 17 de Maio 2018

DforMI_3

Para muitas empresas, a inovação de marketing não é um caminho fácil de percorrer!

O processo de inovação produtos e serviços tem sofrido profundas alterações nos últimos anos, passando a estar mais focado no utilizador/consumidor/cliente como o principal driver da inovação.

O curso “Design for marketing innovation”, realizado em parceria com a Squadra, objetiva a partilha de um modelo capaz de orientar os gestores, desde a pesquisa de mercado ao lançamento de uma ideia inovadora.

Informações, programa e inscrições: https://lnkd.in/dfkgkPP

Workshop Storytelling – 5 de Junho 2018

Header STORYTELLING_2018

Quando apresentamos novos produtos ou ideias de negócios e usamos as técnicas do Storytelling, tornamos a mensagem mais acessível, com maior probabilidade de envolver a nossa audiência e de ser apoiado por ela. Uma boa história provoca mudanças químicas importantes no nosso cérebro. A amígdala liberta dopamina, o neurotransmissor nos dá a sensação de prazer e permite que a informação seja processada e memorizada. Segundo o historiador e filósofo Yuval Harari, é a nossa capacidade de imaginar histórias e de acreditar nelas, que nos permite comunicar a uma escala global. No mundo dos negócios, a nossa habilidade de contar histórias permite que muitas ideias de negócio fiquem, durante muito tempo, na mente das pessoas. As histórias contadas por Alexandre o Grande, Steve Jobs ou Elon Musk originaram produtos e conceitos que ainda hoje têm um papel importante nas nossas vidas.

Como foram criadas estas histórias? Porque as pessoas deveriam importar-se com o projeto ou produto que está ser apresentado? Como melhora as suas vidas ou muda o mundo?

Os grandes contadores de histórias focam na sua audiência. Fazem o trabalho de casa: sabem com quem vão falar, e prestam atenção à forma como a audiência reage; quer seja através do que diz, do que a faz rir e da sua linguagem corporal.

Todos nós contamos histórias: sobre o nosso dia, o que fizemos, o que vimos, o que sentimos. Esta é uma capacidade que todas as pessoas têm e que pode ser desenvolvida de forma a ter maior impacto.

As histórias não só dão significado às nossas vidas como humanizam os nossos negócios. Estruturar as nossas histórias e aprender a contá-las melhor,  ajuda-nos a apresentar qualquer informação – ideias de negócio, produtos, serviços – de forma, familiar, eficiente, autêntica e com resultados surpreendentes.

Durante o workshop de Storytelling, os participantes terão a oportunidade de experimentar com e de inspirar o grupo através da criação e partilha das suas próprias histórias. Entenderão melhor como estruturar uma boa história, que tom de voz utilizar nos momentos certos, como usar a linguagem corporal e o silêncio para envolver e surpreender a sua audiência.

FORMADOR

Virgílio Varela

DATA/HORÁRIO

5 de Junho 2018 – 9h00 – 13h00, 14h00 – 18h00

LOCAL

Casa do Ribeirinho, Matosinhos

Programa e inscrições em www.apgei.pt